quarta-feira, 4 de julho de 2012

Montevidéu, Punta del Este e Colonia del Sacramento - Uruguai

  Fui ao Uruguai com a minha irmã Talita em janeiro de 2011 (de sábado 15 à terça 18). Foi uma viagem maravilhosa, pois foi a primeira vez que viajamos só nós duas!!!


Palácio Legislativo


   A escolha do albergue e a elaboração do roteiro ficaram por conta da Talita. Fechamos aqui no Brasil a reserva para o Red Hostel, que está localizado na Rua San José, 1406. Escolhemos um quarto individual,  mas o banheiro era coletivo, como o preço estava super bacana valeu a pena (ah, lembro que tivemos que pagar as diárias em dólar).


Red Hostel

Quarto individual  (albergue Red Hostel)

Quarto do albergue

1º dia (sábado):

    Viajamos com a cia aérea TAM - Pluna, pagamos pela passagem de ida e volta menos de R$ 500,00. O avião era horrível, super pequeno, cheguei a pensar que o avião poderia cair e que não chegaria em MVD!!! O que o medo não faz com uma pessoa hein?! rsrsrs. A taxa de embarque é cobrada em dólar e a viagem durou mais ou menos 2h10 (saindo do Aeroporto de Guarulhos - GRU).
  
  Desembarcamos (vivas!) no Aeroporto Internacional de Carrasco (MVD) doidas para explorar Montevidéu. Pegamos um táxi (que não é caro) e fomos para o hostel. Como ainda estava cedo para fazer o check-in, conversamos com o pessoal e eles guardaram nossas malas. Fomos almoçar e conhecer os arredores.

  Dica: não troque dinheiro no aeroporto, deixe para trocar em MVD, pois os preço são bem melhores e tem uma casa de câmbio praticamente a cada esquina. 



Táxi em MVD (esse pretinho é um dos mais baratos)


  La Pasiva   

  Nossa primeira parada foi na famosa lanchonete La Pasiva , onde comemos um pancho delicioso!!! 
  
  O que faz a alegria das pessoas quando vão conhecer um lugar diferente é poder experimentar a comida típica local. Nesta lanchonete dois dos pratos mais pedidos são o pancho e o chivito. 
  
  O pancho é um cachorro quente composto por dois pães, duas salchichas enroladas com bacon, coberto por presunto, queijo e finalizado com ovo, azeitona, maionese e pimentão, servido com batatas fritas. Muito gostoso, mas tirei o bacon porque odeio! rsrs

 A rede tem lanchonetes espalhadas por todo o país e conta com um cardápio bem diversificado, além de o preço ser bem camarada. Creio que gastamos em torno de R$ 20,00 no máximo. O que eu achei caro foi o refrigerante, acho que o preço gira em torno de R$ 8,00 uma garrafinha.

  Endereço: Av. 18 de Julio, 1022.

Pancho uruguaio
    
  Fuente de Los Candados

  Saindo da La Pasiva, fomos caminhar pela Avenida 18 de Julio (a principal avenida da cidade) e nos deparamos com a Fuente de los Candados. Paramos para observar e fotografar - em meio a correria dos trabalhadores uruguaios - a fonte dos cadeados. A lenda diz que se dois apaixonados escreverem suas iniciais em um cadeado e prenderem este cadeado à fonte, eles voltarão a visitá-la e seu amor viverá para sempre. Que romântico  ^.^


Fonte dos Cadeados (foto: Talita)



Fuente de los Candados

  Plaza Fabini

  Seguindo pela Av. 18 de Julio, chegamos à Plaza Fabini. Na praça, dentre muitas fontes, há uma com um monumento chamado "Entrevero", que representa a luta de índios e gaúchos pela conquista da terra uruguaia.
  
  É um lugar bem gostoso, limpo, acolhedor, assim como quase todas as praças de MDV!!!


Foto: Talita


Monumento "Entrevero"

Da Plaza Fabini : edifícios da Av. 18 de Julio

  Plaza Independencia

  Próxima parada foi na Plaza Independencia. Considerada a maior praça de MVD, nela está localizada a estátua do General José Artigas (que foi um dos estadistas da Revolução do Rio da Prata). Embaixo da estátua no subsolo, está exposto o mausoléu do general contendo suas cinzas. Este mausoléu é vigiado noite e dia pela guarda de honra.
  
  Nesta praça, um uruguaio tomando mate veio falar conosco, perguntou de onde viemos, disse que amava Fortaleza, que o Brasil é lindo... Depois de falar sobre tudo isso, nos orientou que durante a noite o lugar era perigoso, cheio de ladrões. Agradecemos a preocupação e é óbvio que não arriscamos por o pé lá à noite!!!



Estátua: José Artigas

Mausoléu

  Palácio Salvo

  Logo à frente da Plaza Independencia, está localizado o edifício Palácio Salvo, que foi durante muito tempo considerada a torre mais alta da América do Sul (95 metros).



Palácio Salvo
  

 Portão da Ciudad Vieja 

 Bem próximo, localizamos o Portão da Ciudad Vieja. O local com cafés, lojas, museus, mantém o ar da antiga Montevidéu. As ruas estreitas e históricas te convidam a admirar a beleza das praças e a tomar um café ou um sorvete (Freddo).


Puerta de La Ciudadela


Sorvete de doce de leite

   Plaza Constitución

  Na Plaza Constitución ou Plaza Matriz está localizada a Catedral Metropolitana de MVD (ou Igreja Matriz). A catedral é a principal igreja católica da cidade e seu edifício foi construído em estilo neoclássico. Aos sábados e domingos, na mesma praça, ocorre uma Feira de Antiguidades e artesanato.


Foto: Talita

Catedral Metropolitana

Foto: Talita

Plaza Constitucíon

Ao fundo a Feira de Antiguidades

Foto: Talita

  Cabildo

  Na frente da Catedral, está localizado o Cabildo, hoje Arquivo e Museu Histórico Municipal. O Cabildo foi construído em 1804 para ser sede da administração da cidade. Como nosso tempo era curto, não deu tempo de conhecer o museu.

  Endereço: Rua Juan Carlos Gomez, 1362 (Ciudad Vieja).

  Horário: De terça à sexta e domingo, das 12h30 às 17h30 e sábado, das 11h30 às 16h30. 

  Valor: entrada gratuita.



Cabildo (foto: Talita)

  Teatro Solís

  Seguindo pela Ciudad Vieja, nossa próxima parada foi no Teatro Solís.

  Inaugurado em 1856, o teatro é um dos pontos turísticos mais visitados de MVD e é lindo demais.

  Infelizmente não tivemos tempo de fazer a visita monitorada, quem sabe na próxima!!!

  Endereço: Reconquista s/n esquina com a Bartolomé Mitre.

  Horário: De terças e quintas às 16h; quartas, sextas e domingos às 11h, 12h e 16h e sábados às 11h, 12h, 13h e 16h. 

  Valor: Às quartas a visita é gratuita e nos outros dias $ 20 pesos uruguaios. 

Teatro Solís





  La Cigale

  Finalizando o passeio, fomos tomar um sorvete na rede La Cigale. Espalhada por toda a cidade, a primeira sorveteria foi inaugurada em 1959 no bairro de Cordón.

  Minhas escolhas foram morango e chocolate. Algumas pessoas comentaram em outros blogs que o sorvete de morango é um clássico na sorveteria, como amo sorvete de morango resolvi experimentar. Realmente gostoso, mas não era cremoso e eu tenho uma quedinha por sorvetes cremosos!!!! rsrsrs. O de chocolate também era delicioso e cremoso.

  Vale a pena passar em uma La Cigale e experimentar seus sorvetes. O preço não varia muito em relação ao Brasil, creio que pagamos $ 80 em duas bolas (mais ou menos R$ 8,00).


Sorvete de morango e chocolate

2º dia (domingo):

  Terminal Tres Cruces

  Punta del Este


  Domingo foi dia de ir conhecer o famoso balneário Punta del Este. Pegamos um ônibus na Av. 18 de Julio e fomos para o Terminal Tres Cruces. Não tínhamos o nome de nenhuma linha, simplesmente paramos o ônibus e perguntamos se ia para o terminal. Pagamos mais ou menos R$ 1,50 no ônibus e pedimos para o cobrador dar um toque quando chegássemos ao terminal.

  Endereço: Bulevar General Artigas, 1825


Terminal Tres Cruces

  O Tres Cruces é um luxo só, nem parece terminal de ônibus de tão lindo e arrumado! Tudo limpo e muito organizado. 
  
  Fomos ao guichê da COT e compramos as passagens de ida e volta para Punta, que deu mais ou menos R$ 30,00. A viagem durou mais ou menos 2 horas e os ônibus são bem confortáveis.


De ônibus para Punta del Este


  La Mano


  Em Punta del Este fomos logo conhecer a escultura La Mano feita pelo chileno Mario Irrarazabal. Estava um dia muito quente e a praia estava lotada, confesso que deu vontade de ir pro mar, mas, não estava preparada!!!

  Endereço: Posto 4 da Praia Brava.



Adicionar legenda


La Mano



  Il Mondo Della Pizza

  Passeamos sem rumo pelas belíssimas ruas de Punta. Paramos para comer no Il Mondo Della Pizza. Pedimos Hamburguesa, pois minha irmã leu indicações em blogs. Confesso que não achei nada de diferente, um hambúrguer normal. Preço bacana, não me lembro quanto, mas valeu a pena experimentar e conhecer esta rede que tem restaurantes espalhados por todos os lugares!!! 

  Endereço: Gorlero y Calle 29.

Hamburguesa

  Casapueblo

  Pegamos um táxi no terminal de Punta e fomos para Punta Ballena conhecer a Casapueblo.

  Localizada na Rua Panorámica, o casarão é o ateliê do artista uruguaio Carlos Páez Vilaró. Além de ateliê, o espaço contém hotel, restaurante, museu e loja de souvenires.

  Impossível ir pra Punta e não visitar o lugar!!! Me encantei pela arquitetura e a vista é incrível.


  Endereço: Rua Panorámica, s/n

  Horário: Das 10h às 18h.

  Valor: $ 120,00 pesos. 











  Este foi nosso passeio por Punta. Não tivemos tempo de ir conhecer o Farol e nem a Ilha dos Lobos, porém, conhecer a Casapueblo foi a coisa mais maravilhosa desta viagem :)


3º dia (segunda):

  Colonia del Sacramento

  Dia de ir conhecer a cidade histórica Colonia del Sacramento.

  Assim como fizemos no dia anterior, pegamos o ônibus até o Terminal Tres Cruces e de lá fomos para Colonia também pela cia COT. Pagamos por volta de R$ 34,00 nas passagens de ida e volta e a viagem durou um pouco mais de 2 horas.




  Ah, que cidade encantadora!!! O centro histórico foi considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, então pense em  ruas de paralelepípedos, casarões, luzes charmosas, ladeiras... pensou? Assim é Colonia del Sacramento.




Portão da Cidade



  A cidade foi construída por portugueses, depois de um longo embate histórico, os espanhóis acabaram dominando a cidade.

  O encantador Rio de La Plata dá um outro ar ao local, não sei nem explicar, é fascinante andar por lá.


Rio da Prata



  Farol das Ruínas do Convento de São Francisco


  De tão encantada que fiquei, não aluguei ônibus nem táxi para conhecer melhor a cidade, apenas fiquei andando, observando e admirando Colonia. Subi 118 degraus do Farol (localizado nas Ruínas do Convento de São Francisco, R$ 1,50) para contemplar a vista da cidade. A vista é a melhor que se pode imaginar, achei o máximo poder olhar os quintais das lindas casas e o Rio da Prata.


Farol 



Ruínas do Convento de São Francisco 

   Calle de Los Suspiros

  A Calle de Los Suspiros é a rua mais antiga da cidade. A rua de paralelepípedos e os casarões em estilo português dão o ar da graça. Segundo a lenda, quem subir e descer a rua três vezes não terá problemas amorosos. 

  Me apaixonei pela Calle de Los Suspiros e pela cidade num todo. Um bate e volta é o suficiente para conhecer o local.  



Calle de Los Suspiros

  Após este banho de história, fomos andar no Colonia Shopping. Nosso almoço foi na rodoviária da cidade mesmo, no restaurante La Terminal




Almoço no restaurante La Terminal: arroz, batata frita e frango empanado

  Congresso

  Quando voltamos de Colonia, pegamos um táxi na rodoviária e fomos conhecer o Congresso. Descemos apenas para tirar fotos, mas não poderíamos deixar de passar pelo lindíssimo Palácio Legislativo!


Congresso

Congresso


Estação de trem desativada

Estação Central de trem General  Artigas (desativada)


  Bar Hispano

  Para finalizar o dia, fomos comer o tão falado Chivito no tão falado Bar Hispano.

  O Bar Hispano serve o melhor chivito da cidade (na minha opinião)! Realmente achei o lanche fantástico e saboroso. O local não é muito arrumadinho é bem simples, mas a comida e o atendimento são ótimos.

  A única coisa que me deixou chateada foi ver o suco de laranja dentro de uma garrafa PET. Estava horrível, não sei se isso é uma prática do bar ou da cidade, ou se foi um caso atípico  mas fiquei furiosa. Para não arrumar confusão, comi o lanche que estava maravilhoso e pedi uma água! Vale muito a pena conhecer o bar e comer o chivito deles, mas por favor, não peçam suco de laranja!!! kkkkk

  Endereço: Rua San José, 1050.


Chivito: carne, alface, tomate, maionese, queijo e presunto


4º dia (terça):

  Giulianna - Pandería y Bizcocheria


  Último dia de viagem dá um aperto no coração, um dilema animal: devo voltar ou devo ficar? 

  Para nos despedirmos desta viagem deliciosa, andamos de táxi o dia todo para dar conta de todo o roteiro.

  Fomos até a Ciudad Vieja tomar café no quiosque da Giulianna - Pandería y Bizcocheria, que tinha coisinhas deliciosas para comer, tanta coisa, que deu vontade de comer tudo!!!

  Endereço:  Rua Juncal, 1333.


Delícias do café: croissant doce e salgado, alfajor e suco de maçã (que por sinal é delicioso!)

  Plaza de Cagancha

  A última praça que visitamos - na Av. 18 de Julio - foi a Plaza de Cagancha. A praça leva este nome devido a um embate, onde o General Rivera venceu as forças do General Echague, em 1839.

  Hoje a praça é considerada o marco zero da cidade moderna.



Foto: Talita

Plaza Cagancha (foto: Talita)

  Rambla

  Fomos para a Rambla (20 km de calçadão), admirar o Rio da Prata. Ótimo lugar para fazer caminhada, tirar fotos, conversar, ler um livro, namorar ou simplesmente observar o rio.


Rambla

Rio de La Plata

Foto: Talita


  
Mercado del Puerto

  Seguimos para o Mercado del Puerto (inaugurado em 1868, era o antigo Mercado Municipal) em Ciudad Vieja. Como fomos bem cedo, pois iriamos embora no mesmo dia, não tivemos a oportunidade de almoçar por lá e comer o churrasquinho uruguaio.

  Mesmo assim, deu para tirar umas fotinhos e comprar algumas coisinhas na feirinha do lado de fora do mercado =)
  
Mercado del Puerto (foto: Talita)

Foto: Talita



  Estádio do Centenário 

  Próxima visita foi ao Estádio do Centenário (construído em 1930).

  O estádio foi cenário da primeira Copa do Mundo, por isso e por outros motivos, é um dos lugares mais visitados em MVD.

  Pagamos creio que R$ 10,00 pela visita. O museu estava fechado (abre de quarta à domingo), então visitamos apenas a arquibancada do estádio. 

  Endereço:  Av. Dr. Alfredo Navarro e Dr. Américo Ricaldoni - Parque Batlle.

Estádio do Centenário

Foto: Talita


  

  Obelisco

  Finalizando o passeio, fomos tirar umas fotinhos no Obelisco.
  
 O obelisco foi construído em homenagem aos participantes da Assembléia Geral que sancionou a primeira Constituição do país, 1830.

  Endereço: Entre a Bulevar Artigas e Av. 18 de Julio.

  
Obelisco (foto: Talita)

  El Navio

  Antes de partirmos para SP, fomos comer outro chivito no El Navio. O local é bem indicado por pessoas que visitam a cidade, porém, não gostei do chivito de lá, mil vezes o do Bar Hispano. A carne não estava muito boa, o lanche mal montado, não me agradou.

  Endereço: Av. 18 de Julio com a Rio Branco.


Chivito do El Navio


  Não fiz compras por lá (apenas suvenires, camisetas, porta jóias) , pois o preço era praticamente o mesmo com relação ao Brasil, não vi nada que valesse a pena comprar.
  
  
  Finalizo este post indicando esta viagem a todos. Montevidéu é uma cidade maravilhosa e não é a toa que é considerada a  cidade com a melhor qualidade de vida da América Latina.

  Limpa, organizada e com um povo acolhedor, a cidade deixa saudades e um gostinho de "quero mais" para quem já foi visita-lá. 


  Informações:
  Moeda: Peso Uruguaio
  R$ 1,00 = $ 11,00 / $ 1.000,00 = R$ 100,00
  Divisão: 19 departamentos
  DDI: 598
  Código (MVD): 2
  Código (Punta del Este): 42



  Até mais!!!


  Thais

Nenhum comentário:

Postar um comentário